• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


1958 Excesso de gols

Autor: Adriano Fernandes - 14/12/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

Santos Campeão Paulista de 1958

O ano de 1958 foi um ano especial para o futebol brasileiro: foi nesse ano que a seleção do Brasil conquistou pela primeira vez a Copa do Mundo. Nos gramados suecos também brilhou um certo Edson Arantes do Nascimento, que em 4 jogos marcou 6 gols (sendo 2 deles na final contra os donos da casa), sendo o artilheiro do time nacional.

Mas não foi só o escrete canarinho que se viu privilegiado por contar com a magia daquele que seria o Atleta do Século. O camisa 10 também se destacou pelo Santos F.C. no campeonato estadual mais importante do país, impondo um recorde que talvez jamais será superado: é o jogador que marcou mais gols em uma só edição do Campeonato Paulista, com 58 gols (será apenas mera coincidência?). Estes gols contribuíram, e muito, para a espetacular campanha santista, com 29 vitórias e apenas 3 derrotas em 38 jogos, e com 143 gols marcados.

A superioridade santista não se fez sentir apenas na tabela. Outros números tornaram o Santos indiscutivelmente melhor naquele torneio, mais especificamente o que o quarteto Pelé, Pagão, Coutinho e Pepe andou aprontando pra cima dos oponentes: 7x3 e 6x2 no Jabaquara, 6x0 e 5x0 no XV de Piracicaba, 4x0 na Ponte Preta, 5x2  no XV de Jaú, 4x1 e 8x1 no Ypiranga, 10x0 no Nacional (a maior goleada do campeonato), 8x1 e 7x1 no Guarani, 6x1 na Portuguesa Santista, 4x0 no Botafogo, 9x1 no Comercial, 7x1 no Juventus, e não menos importante que estes resultados, 6x1 no rival Corinthians. Show de Bola é talvez o que melhor descreve isso...

Havia ainda mais coisas importantes no mundo da bola em 1958: uma reunião da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) decretou a criação de um torneio continental, que reuniria os campeões nacionais dos times filiados. Este campeonato já tinha nome e data marcada para a primeira edição: Taça Libertadores da América, 1960. Para isso, a CBD teve a necessidade de criar um campeonato nacional, que nos inspirada na recém-planejada competição sul-americana, reuniria todos os campeões estaduais do país para disputar a Taça Brasil, que teve sua primeira edição em 1959. Assim, o Campeonato Paulista de 1958 não valia apenas o status de campeão do Estado, mas também dava o direito ao campeão de participar da disputa de um título brasileiro e, consequentemente, uma vaga na Libertadores. Mas isso é assunto para um futuro post, que não tardará a sair.

A 1ª divisão do Paulistão de 1958 foi disputada por 20 times, que jogaram entre si em turno e returno, sendo campeã a equipe que somasse mais pontos ao fim do torneio. Regulamento, aliás, idêntico ao do Campeonato Brasileiro desde 2006. Só algumas diferenças: a vitória valia 2 pontos (lembrando que a vitória só passou a valer 3 pontos nos anos 90) e o empate, 1 ponto. O campeão, como citado anteriormente, garantia também a vaga na Taça Brasil. O último colocado seria rebaixado à 2ª divisão do ano seguinte, sendo substituído pelo campeão da mesma.

O certame iniciou-se no final de maio, mas os times grandes somente tiveram seus primeiros jogos em julho, pois estes haviam cedido jogadores para a Seleção Brasileira que disputou e venceu o Mundial em junho.

Como era de se esperar, um time com a excepcional campanha descrita nas primeiras linhas do post não viria a ser campeão na última rodada do torneio. Porém, o São Paulo F.C., campeão paulista de 1957, apresentou um ótimo desempenho, o que fez com que se conhecesse o campeão somente na penúltima rodada, quando o Santos goleou o Guarani por 7x1, em Campinas. Naquela ocasião, o Alvinegro dependia apenas do empate. Na última rodada, em 18 de dezembro, o Alvinegro (que já era campeão) e o Tricolor (que já era vice) empataram por 2x2 na Capital, encerrando suas participações naquela edição do Campeonato Estadual.

O Santos foi o campeão paulista de 1958, com 29 vitórias, 6 empates e 3 derrotas, 143 gols pró e 40 gols contram e credenciou-se a disputar a Taça Brasil de 1959. O Ypiranga foi rebaixado à Segunda Divisão, e o Comercial F.C. de Ribeirão Preto, foi promovido para o seu lugar.

Pelé, com 58 gols, foi novamente o artilheiro do campeonato (já o tinha sido em 1957, com 17 tentos assinalados). O Peixe também se destaca com uma das melhores performances ofensivas da história da competição, com 143 gols marcados e uma média de 3,76 gols por jogo.

Para quem quiser ler um pouco mais sobre o que se viu em 1958, tem um belo post no blog Segredos da Bola: http://segredosdabola.wordpress.com/2009/01/25/campeonato-paulista-conhece-uma-maquina-de-gols/

Por Maracajá em 11/11/2010

Fonte: A História do Santos FC


Comentários

Nome: Rodrigo Moura Arlé

No filme Pelé Eterno diz que no Campeonato Paulista de 1958 o Santos jogou 30 jogos e fez 143 gol.... qual é o certo então? jogou 38 ou 30 jogos?? e o Pelé, realmente fez 58 gols destes 143?? Outra coisa, gostaria de saber se voçês tem alguma relação de todos jogos internacionais que o Santos já jogou? Seja em torneio oficial e amistoso! e quantos títulos internacionais o Santos já venceu??


Deixe seu comentário

Nome:

Seu E-mail:

Assunto da Mensagem:

Mensagem:



Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação