• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


Agostinho Fortes Filho foi o mais completo médio de seu tempo

Autor: Adriano Fernandes - 09/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

fortes.jpg

Agostinho Fortes Filho foi o mais completo médio de seu tempo.

Campeão Carioca em 1917, com apenas 16 anos de idade, 1918, 1919 e 1924, Campeão Sul-americano com a Seleção Brasileira em 1919 e 1922, e duas vezes Campeão Brasileiro de seleções.

Disputou a Copa do Mundo de 1930, no Uruguai. Em campo, tinha dupla personalidade: atuava com fibra incomum, como se estivesse decidindo a final de um campeonato, mas, durante o jogo, não cessava de pilheriar com os companheiros, os adversários e o público, a despeito das advertências e censuras do severo capitão Chico Netto e de seus ex-professores Welfare, no Ginásio Anglo Brasileiro, e Oswaldo Gomes, no Colégio Alfredo Gomes, todos integrantes da equipe de amadores que conquistou o primeiro Tricampeonato da Cidade.

Neco, o extraordinário meia-direita paulista, também Campeão Sul-Americano em 1919 e 1922, era grande amigo do craque tricolor, mas não gostava de enfrentá-lo porque, desabafava desalentado, "Fortes o irritava e o anulava com suas molecagens".

A torcida do Fluminense, então, divertia-se a valer com as diabruras de Fortes, e não raro, em vez de palmas ou gritos de incentivo, ressoava nas arquibancadas a gargalhada estrepitosa e comunicativa da massa.

Certa vez, no estádio de São Januário, Fortes, ao ser driblado dentro da área, cometeu escandaloso pênalti no arisco centro-avante Russinho, segurando-o, abraçando-o e aplicando-lhe demorado beijo no rosto suado, enquanto a bola rolava mansamente para as mãos do arqueiro. O juiz, perplexo, nada marcou e a social do Vasco explodiu em risadas e comentários indulgentes: "O rapaz sabe jogar, mas gosta duma boa patuscada. É sempre melhor que machucar o adversário". Era assim Agostinho Fortes Filho, o irrequieto Dadá, ídolo da torcida tricolor, que mais tarde trocou as chuteiras pela espingarda de caçador nas matas e alagadiços de Jacarepaguá.

Participou de 230 jogos pelo Fluminense tendo marcado 16 gols.

Faleceu em maio de 1966.

Obs. As informações sobre o jogador e fotos foram retiradas do acervo do FFC.

Fonte: Site Oficial do Fluminense


Comentários

Nenhum comentário até o momento.

Deixe seu comentário

Nome:

Seu E-mail:

Assunto da Mensagem:

Mensagem:



Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação