• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


Este Agnelo…

Autor: José Renato - 31/08/2012   Comentários Nenhum comentário

Agnelo Queiroz - Blog do Juca Kfouri

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), pagou R$ 7.500 para o policial militar João Dias Ferreira na mesma época em que o PM ameaçava delatar um esquema de desvio de recursos em convênios do Ministério do Esporte, quando o órgão era comandado por Agnelo (2003-2006).

As transferências – três depósitos de R$ 2.500, com intervalo de cerca de 30 dias entre cada um – constam dos extratos bancários de Agnelo remetidos pelo BRB (Banco de Brasília) à CPI do Cachoeira esta semana, e aos quais a Folha teve acesso.

STJ vai investigar relação de governador do DF com grupo de Cachoeira

Banco atrasa envio de dados sobre governador

Os pagamentos ocorreram nos dias 1º de fevereiro, 4 de março e 31 de março de 2008. Em dezembro de 2007, dois meses antes do início dos pagamentos, uma auditoria do ministério identificou fraudes em convênios firmados com ONGs de João Dias.

NOTA DO BLOG: Cada vez que o blogueiro lê novas notícias, sempre com provas, envolvendo Agnelo (cordeiro, em italiano) Queiroz, ele sorri.

Principalmente ao lembrar dos que o defendiam.

E ao lembrar de Ricardo Teixeira, João Havelange, Eurico Miranda, Kia Joorabchian etc, e bote etc nisso,essa gente bronzeada, ou não, que, aos poucos, foi ficando nua diante da sociedade brasileira.

Por Breno Costa / Filipe Coutinho

Fonte da Imagem: Blog do Juca Kfouri

Fonte: Blog do Juca Kfouri em 23/08/2012


 

 

José Vítor Roque Júnior

Autor: Adriano Fernandes - 31/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

Roque JR

Com habilidade acima da média para um zagueiro, Roque Júnior é muitas vezes aproveitado no meio-campo. Desde que foi contratado pelo Palmeiras, em 1995, seu estilo de jogo é comprado ao de Luís Pereira, um dos maiores zagueiros da história do clube.

Eficiente nas bolas altas e na marcação homem-a-homem, ainda exagera em muitos momentos nas jogadas violentas.

Em 2000, foi contratado pelo Milan pela bagatela de US$ 10 milhões, preço considerado alto para um zagueiro. Os dirigentes do clube italiano esperam que Roque Júnior repita o sucesso de Aldair, da Roma, no futebol do país.

Roque Júnior foi convocado pela primeira vez para a Seleção por Wanderley Luxemburgo, para um amistoso contra a Holanda, em Amsterdã.

O zagueiro, porém, só foi consolidar a sua posição na equipe brasileira quando Luiz Felipe Scolari assumiu a equipe, em junho de 2001. Nos últimos jogos das Eliminatória para a Copa, o zagueiro chegou a ostentar a tarja de capitão da Seleção.

Criticado no início da Copa do Mundo de 2002, Roque Junior foi um dos destaques do Brasil após a fase de classificação.

O entrosamento com Edmilson e Lúcio cresceu aos poucos e o ápice do zagueiro brasileiro foi justamente a final contra a Alemanha onde foi sem dúvida um dos melhores em campo na partida que deu o penta ao Brasil.

Fonte da Imagem: Net Vasco

Fonte: UOL Esportes



 

 

Maior público da história do futebol nacional lotava o Maracanã

Autor: Adriano Fernandes - 31/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

Brasil 1x0 Paraguai - Eliminatórias 1969

Qual o maior público presente a um jogo de futebol na história do futebol brasileiro? Uma dica: ele foi registrado no Maracanã, o maior estádio do país. Não ajudou muito? Um bom palpite seria a final da Copa do Mundo de 50. Mas se a estimativa é que 200 mil pessoas, 10% da população na época do Rio, capital federal, foram ao estádio, o número oficial de pagantes foi de ‘apenas’ 173.850 pessoas. Com dados comprovados, a partida que contou com maior número de torcedores ocorreu há exatos 40 anos. Em 31 de agosto de 1969, 183.341 torcedores pagaram ingresso para assistir ao duelo Brasil x Paraguai pelas Eliminatórias da Copa de 70. Um recorde que jamais será superado. E a multidão vibrou com a vitória por 1 a 0, resultado que garantiu a classificação da seleção para o primeiro Mundial disputado no México.

O clima no Brasil em agosto de 69 não era dos mais amenos. Com o Ato Institucional número 5, editado em 13 de dezembro do ano anterior, a repressão aos críticos do governo militar foi intensificada. Havia  restrições de expressão na música, teatro e cinema. E censura à imprensa. Com esse panorama, o futebol se tornou uma das raras formas de manifestação para os brasileiros.

E a aprovação da torcida às “Feras do Saldanha” contribuiu também para que o Maracanã ficasse superlotado naquela tarde. O time treinado pelo jornalista João Saldanha realizava uma campanha impecável. Depois de três triunfos em amistosos (dois contra o Peru e um diante da Inglaterra, campeã mundial em 66), a seleção ganhou os cinco primeiros jogos nas Eliminatórias, incluindo vitórias maiúsculas contra Paraguai (3 a 0), Colômbia (6 a 2) e Venezuela (5 a 0 e 6 a 0).

O jogo final seria contra o Paraguai. O empate assegurava o passaporte brasileiro para o México. E os torcedores cariocas foram em peso ao Maracanã dar o seu apoio ao escrete. Se uma nova goleada não ocorreu, o time pressionou os paraguaios e venceu. Graças a um gol de Pelé aos 23 minutos da etapa final. Rildo arrancou pela esquerda e passou para Edu. O jovem ponta-esquerda do Santos (20 anos) colocou a bola por baixo das pernas do marcador e chutou cruzado. O goleiro Aguillera não segurou a bomba, e Pelé chutou com raiva, indo para dentro da rede junto com a bola. Assista ao gol no vídeo acima.

Apesar da boa campanha nas Eliminatórias, João Saldanha não chegou à Copa de 70. Uma série de polêmicas – chegou a insinuar que Pelé estaria com problemas de visão e disse para o presidente Médici não se intrometer na escalação do time, porque ele não se metia na formação do Ministério -, e  tropeços em campo (derrota para Argentina por 2 a 0 no Beira-Rio e empate em jogo-treino contra o Bangu) causaram a queda do “João sem medo”.

Zagallo assumiu o cargo menos de três meses antes do começo do Mundial. E a troca de comandante fez com que alguns titulares nas Eliminatórias perdessem o posto de titular. Ou até mesmo a vaga no grupo que seria campeão mundial. Titulares contra o Paraguai, Djalma Dias e Rildo não foram convocados para a Copa. Joel e Edu viajaram para o México, mas ficaram na reserva.

Brasil 1 x 0 Paraguai

Data: 31 de agosto de 1969

Local: Maracanã

Competição: Eliminatórias da Copa de 70

Público: 183.341 pagantes

Árbitro: Ramon Barreto (Uruguai)

Gol: Pelé, aos 23 minutos do 2º tempo

Brasil: Félix, Carlos Alberto, Djalma Dias, Joel e Rildo; Piazza, Gérson e Jairzinho; Tostão, Pelé e Edu.

Paraguai: Aguillera, Enciso, Bobadilla, Sergio Rojas e Mendoza; Sosa, Pablo Rojas e Ivaldi (Valdez); Ocampo, Ferreira e Jimenez.

Por Marcelo Monteiro

Fonte da Imagem: Agência Estado

Fonte: Memória E. C. 30/08/09



 

 

Pinheiro, a raça tricolor

Autor: Adriano Fernandes - 30/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

João Carlos Batista Pinheiro - Sou mais Flu

Pinheiro era um zagueiro de estilo rebatedor, muito forte fisicamente e ótimo cabeceador que foi senhor absoluto da área do Fluminense em 571 partidas, de 1949 e 1962, quando transferiu-se para o Bonsucesso. Não era um primor tecnicamente, mas jogava com muita disposição e encantava a torcida pela vontade que demonstrava jogo-a-jogo.

Pinheiro estreou no time profissional do Fluminense em 1949, quando o técnico Oto Vieira o escalou para marcar o craque Heleno de Freitas, que então defendia o Vasco. Pinheiro superou o nervosismo inicial e deu conta do recado. Ele começou a se destacar em 1951, quando o Flu conquistou o título do Campeonato Carioca.

Na época, o técnico Zezé Moreira escalou Pinheiro de líbero, função que ele desempenhou com perfeição. Também tinha a responsabilidade de cobrar pênaltis. Seu método era infalível. Ele explica: "Eu escolhia um canto e mandava a bomba, quase sempre de bico para não dar tempo de o goleiro se mexer."

Em 1952, integrou a Seleção Brasileira que ganhou o título do Campeonato Pan-Americano, no Chile. Também disputou a Copa do Mundo de 1954, na Suíça. Fez 17 jogos e um gol com a camisa verde e amarela. Pelo Fluminense, também ganhou o título carioca de 1959 e os Torneios Rio-São Paulo de 1957 e 1960.

Ao todo, marcou 49 gols pelo Flu. Em 1964, encerrou a carreira pelo Bahia e passou a trabalhar como técnico em muitos clubes do Rio de Janeiro e obteve a façanha de levar o América-RJ ao terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de 1986.

Fonte da Imagem: Sou Mais Flu

Fonte: UOL Esportes



 

 

Clube Esportivo de Futebol

Autor: Adriano Fernandes - 30/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 5 comentários

Clube Esportivo de Futebol

Fundado em 30 de agosto de 1984, manda seus jogos no Estádio Starling Soares, com capacidade para 10.000 pessoas.

Em 1988 conseguiu a inctível conquista de ser vice-campeão brasileiro da série C.

Em 2001, disputas políticas na cidade levaram à criação do Clube Esportivo Passense de Futebol e Cultura, uma dissidência do Esportivo que forçou o clube a mandar seus jogos em cidades vizinhas à Passos.

Confusão no sul de Minas: Os “Esportivos de Passos”

Localizada no sul de Minas Gerais, com pouco mais de 100.000 habitantes, a cidade de Passos tem uma história pouco usual no futebol. Desde 2002 (com exceção de 2006, quando não teve representantes), tem duas equipes com o nome de Esportivo disputando o campeonato mineiro da segunda divisão (correspondente à terceira), apesar da semelhança entre os nomes ferir o artigo 36, letra F, da RI publicada pela CBF em 1991, que não permite o registro de clubes com nomes parecidos no mesmo município. Além disso, os dois clubes possuem uniformes com cores idênticas e escudos parecidíssimos. Nas linhas abaixo, tentaremos esclarecer essa confusão.

O primeiro “Clube Esportivo Passense”

Fundado em 1929 (há registros de que pode ter sido fundado em 1916) pelos amigos Francisco Salles da Fonseca, Farid Esper Kallas, Pivani Piassi, José Barbosa, Dolor Esper Kallas, Henrique Rossi e José Figueiredo, o Clube Esportivo Passense brilhou na cidade de Passos até o final da década de 60. Contando com o empenho do então prefeito Geraldo Starling Soares, que conseguiu do governador Dr. Benedito Valadares a importância de cem mil cruzeiros, construíram o “Gigante dos Eucaliptos”, ainda hoje o único estádio da cidade. O clube ficou conhecido como o “Expresso do Sudoeste”.

O Clube Esportivo de Futebol

Em 1984, o empresário José Eustáquio do Nascimento, o Taquinho, fundou o Clube Esportivo de Futebol. O próprio Taquinho contou que sua intenção na época era reativar o Passense, de quem era um apaixonado torcedor, mas foi impedido por lei, porque já existia o Clube Passense de Natação, o CPN. O Esportivo de Futebol, tornou-se conhecido em todo Brasil, após chegar ao vice-campeonato da Divisão de Acesso do Campeonato Brasileiro (atual Série C) em 1988, perdendo a final pro União São João. Além disso conquistou o título da segunda divisão do campeonato mineiro em 1985 e foi o campeão mineiro do interior em 1989. Após o período áureo, o clube enfrentou um grande declínio, que culminou com seu afastamento das competições durante quase toda a década de 90. Desde o retorno, em 2000, tem feito campanhas pífias na terceirona mineira. A partir de 2001 foi impedido pela Prefeitura Municipal de disputar seus jogos no estádio Starling Soares, e passou a mandar seus jogos em cidades próximas, como Pium-Hi, São Roque de Minas e Itaú de Minas, palco dos jogos da segundona 2007.

O Passos Futebol Clube

Com o ostracismo do Esportivo surgiu um outro clube, também fundado pelo empresário Taquinho, o Passos Futebol Clube. Nascido em 05 de outubro de 1996 e profissionalizado em 1998, o Passos conquistou o título do campeonato mineiro da segunda divisão (correspondente à terceira) em 1998 mas desistiu de disputar o Módulo II do mesmo ano, cedendo a vaga à Esportiva de Guaxupé. Ironicamente, o Ipatinga, derrotado pelo Passos naquela ocasião, iniciou uma trajetória fulminante no futebol brasileiro. Em 2000 e 2001 o Passos FC acompanhou o Esportivo nas disputas do campeonato mineiro da segunda divisão e, desde então, encontra-se inativo. Sua antiga sede foi cedida, pela Prefeitura Municipal, ao Esportivo Passense, reativado em 2002. 

O Clube Esportivo Passense de Futebol e Cultura

Em 23 de janeiro de 2002 o Clube Esportivo Passense foi ressucitado, após divergências políticas entre seus fundadores e os dirigentes do Clube Esportivo de Futebol. Com o nome de Clube Esportivo Passense de Futebol e Cultura, o empresário Carlos Magno Amparado, juntou-se a antigos esportistas da cidade de Passos e formou a primeira diretoria. Apesar das promessas de melhores dias, com o apoio da Prefeitura Municipal, o clube até hoje não conseguiu o acesso ao Módulo II do campeonato mineiro, situação que pode mudar em 2007. 

Os “Esportivos” na Segundona 2007

Para o torneio, a FMF definiu que, para facilitar o trabalho da imprensa, o Esportivo de Futebol fosse conhecido como Esportivo e o Esportivo Passense, como Passense. O Passense formalizou uma parceria com o Clube Atlético Mineiro e os primeiros resultados impressionaram. O clube terminou a fase classificatória em primeiro lugar no Grupo A, com sete vitórias em dez jogos e é um dos favoritos ao acesso e à conquista do título.

Enquanto isso, o Esportivo foi excluído do campeonato antes do término da primeira fase, pelo não pagamento de taxas à Federação Mineira de Futebol, após uma campanha decepcionante, com 2 empates e cinco derrotas, uma delas justamente para o Passense, por 2x0. Aliás, a exclusão do campeonato, antes de seu final, parece ser uma constante da história recente do Esportivo, afinal o mesmo ocorreu em 2000 e 2004.

Resta saber até quando essa história, provavelmente sem paralelo no futebol mundial, continuará a dividir o futebol da pequena cidade mineira. 

Títulos 

1 Vice-Campeonato Brasileiro Série C: 1988

1 Campeonato Mineiro Módulo II: 1985

Estádio

O Estádio Municipal Starling Soares é um estádio de futebol brasileiro, localizado em Passos, no estado de Minas Gerais. Sedia jogos do Clube Esportivo Passense de Futebol e Cultura.

Popularmente chamado "Esportivo", tem capacidade para 5.400 pessoas. A administração do estádio foi concedida através de licitação pública ao clube, em 2007.

Fonte da Imagem: 1 Time por Dia

Fonte:  Blog Clube Esportivo de Futebol



 

 

Mauro Ramos de Oliveira

Autor: Adriano Fernandes - 30/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

Mauro Ramos de Oliveira (Fonte: Caldense)

Poucos jogadores (principalmente zagueiros) foram tão elegantes dentro e fora de campo quanto Mauro Ramos de Oliveira. Tanto que era chamado de Martha Rocha. Longe de ser uma ofensa, o apelido era uma referência à beleza e elegância da miss Brasil que por pouco perdeu o título de Miss Universo.

Mauro estreou com a camisa do São Paulo aos 18 anos de idade, substituindo o lendário argentino Armando Renganeschi. Apesar da pouca idade, ele não decepcionou, sagrando-se campeão paulista já naquele ano e bi na temporada seguinte. Pelo clube da capital paulista, faturaria ainda os Estaduais de 1953 e 1957.

Reserva nas Copas do Mundo de 1954 e 1958, Mauro Ramos teve finalmente sua grande oportunidade no Mundial do Chile, em 1962. Mais uma vez, não a desperdiçou: foi não apenas titular, mas também capitão, erguendo a taça Jules Rimet no final da competição.

Àquela altura ele já defendia o Santos, para onde havia se transferido em 1960. Em companhia do goleiro Gilmar (ex-Corinthians) e do gaúcho Calvet, deu um jeito na problemática defesa do time de Pelé. E, em 1963, provou de uma vez por todas que era, antes de tudo, um vencedor: ergueu a taça de outro bi: Mundial Interclubes, pelo Santos.

Mauro Ramos faleceu em 18 de setembro de 2002, aos 72 anos, em Poços de Caldas, sua terra natal. Dias antes, ele tinha sido internado na Santa Casa de Misericórdia da cidade, devido a problemas cardíacos e câncer no intestino.

Fonte da Imagem: Caldense

Fonte: UOL Esportes



 

 

Treinador inglês reclama de logística durante a Copa no Brasil

Autor: Adriano Fernandes - 29/08/2012 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

Roy Hodgson - Portal 2014 / EFE

As eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014 na Europa sequer começaram, mas o treinador da seleção da Inglaterra, Roy Hodgson, já está preocupado com o que pode enfrentar no Brasil daqui a dois anos.

Em conferência realizada em seu país, Hodgson alertou para as constantes mudanças de temperatura que podem atrapalhar as seleções em 2014, mas exagerou ao dizer que a neve é um problema em Porto Alegre e que as temperaturas em Manaus chegam a 50ºC.

"Será inverno no Brasil, então não vai ser aquele banho de sol, a menos que esteja no Rio de Janeiro. Se estiver em Porto Alegre, é necessário colocar um casaco de pele por causa da neve e das temperaturas baixas. Mas se vai para Manaus, deve encarar 45, 50ºC e enfrentar os mosquitos na Floresta Amazônica", disse ele.

Hodgson ainda foi extremamente crítico em relação aos centros de treinamento de seleções que visitou no país. "É muito difícil achar a privacidade que uma seleção prefere", lamentou. 

Em julho, ele esteve em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte visitando CTs de clubes como o Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG e Cruzeiro.

A Inglaterra inicia sua caminhada rumo à Copa de 2014 em partida contra a Moldávia, fora de casa, no próximo dia 7, em partida que marca o início das eliminatórias. Ucrânia, San Marino, Polônia e Montenegro também estão no grupo H, ao lado de inglesas e moldavos.

Por Redação do Portal  2014

Fonte da Imagem: Agência EFE / POrtal 2014

Fonte: Portal 2014 em 24/08/2012



 

 

50 000 torcedores em um jogo dos Rangers na quarta divisão

28/08/2012 Categoria:   Comentários 1 comentários

Glasgow Rangers (Fonte: NBC)

O Glasgow Rangers, rebaixado para a quarta divisão por causa de problemas financeiros, pode se vangloriar de ter guardado intacta a confiança de seus torcedores. No jogo de estreia desta temporada, o lendário estádio de Ibrox Park recebeu 49 118 torcedores neste sábado.

“O estádio lotado foi o maior exemplo de amor e lealdade que nossa torcida podia dar. Só temos que agradecer”, falou o diretor geral do clube, Charles Green.

Certamente os fanáticos torcedores irão lotar novamente o seu estádio nos próximos jogos. Os Rangers massacraram o seu adversário do dia (East Stirling) graças ao hat trick de Andy Little. Temos que voltar ao ano de 1961 para encontrar um mesmo número de torcedores em um jogo de quarta divisão. Ocorreu igualmente no Reino Unido: 37 774 pessoas no jogo do Crystal Palace e Millwall pelo Campeonato Inglês.

Os Rangers foram rebaixados da primeira divisão para a quarta divisão escocesa, ou seja, a última divisão daquele campeonato, por causa de problemas financeiros, depois de uma decisão colegiada da Liga escocesa de futebol (SFL), em julho. Segundo os administradores do clube de Ibrox Park, as dividas totais chegaram a 134 milhões de libras esterlinas.

Fundado em 1872, os Rangers, os quais possuem 45 000 torcedores em média por jogo, venceram 54 vezes o Campeonato Escocês, 33 vezes da Copa da Escócia e uma vez a Copa da Europa dos vencedores de copas em 1972.

Fonte da Imagem: NBC

Fonte: Blog do Xico Malta em 20/08/2012



Paginação:  

Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação