• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


As razões do desertor

Autor: Adriano Fernandes - 30/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

mario-fernandes.jpg

A escritora turca Oya Baydar tem em seu romance “Palavra Perdida” (http://www.saeditora.com.br/ – aliás, a Sá Editora tem ótimos títulos da literatura turca) um personagem, um velho mal humorado que se apresenta como um desertor desconhecido, em alusão ao monumento do soldado desconhecido.

Mas, desertor de qual guerra?

- De todas as guerras, elas nunca acabam, responde o velho.

Capítulos à frente, o velho se mata com uma simples explicação: “Agora, sou desertor do mundo.”

Existem os desertores aos montes. O velho se cansou da guerra e não encontrou paz na paz.

Outros se desertam antes mesmo de a luta começar.

Foi assim com o lateral direito do Grêmio, Mário Fernandes, que resolveu não se apresentar à Seleção convocada pelo técnico Mano Menezes que jogará contra a Argentina amanhã.

Os motivos dele são as insondáveis questões particulares.

Aos 21 anos de idade, começando uma carreira profissional com duas convocações na Seleção, tomar esse tipo de decisão não é comum.

Márcio Fernandes comprometeu o seu futuro na Seleção Brasileira.

Mas, e se ele se transformar num baita jogador, um novo Djalma Santos ou um Carlos Alberto Torres?

Ainda assim, um novo técnico ficará sem saber se deve chamá-lo ou não. Será que ele virá?, pensará o novo técnico.

O jovem lateral não foi o primeiro.

Às vésperas da Copa de 1986, o também lateral direito Leandro, do Flamengo, não apareceu para o embarque da Seleção que iria para o México.

O motivo: seu amigo Renato Gaúcho havia sido cortado da Seleção Brasileira. Dias antes, os dois fugiram da concentração da Toca da Raposa, em BH, e foram para a balada. Na volta, tentaram pular o alto muro mas Renato não conseguiu, só Leandro.

Telê Santana, sempre muito exigente, cortou Renato mas manteve Leandro. No dia do embarque, o lateral não apareceu.

Outro caso de deserção foi o de Mauro Silva.

Convocado para disputar a Copa América em 2001, na Colômbia, ele simplesmente não apareceu no embarque, alegando que a Colômbia não oferecia segurança.

Foi triste para o técnico Luiz Felipe Scolari que, dias antes, havia traçado o corpulento Mauro Silva como o perfil ideal para a sua Seleção.

É sempre mais fácil entregar os pontos.

Por Mario Marinho em 28/9/2011


 

 

Os dias de Carlos Tevez no Manchester City estão contados

Autor: Adriano Fernandes - 30/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

carlito-tevez-01.jpg

Depois de ter negado a entrada em campo na última terça-feira, contra o Bayern de Munique, pela Liga dos Campeões, o treinador italiano do City Roberto Mancini criticou a atitude do rapaz de Forte Apache:

“Para mim acabou. Se as coisas ocorrerem como eu quero, ele não fará mais parte do elenco. Um jogador que ganha uma fortuna não pode se comportar dessa maneira em um jogo pela Liga dos Campeões, por mim, não jogará nunca mais jogar no clube”, declarou o italiano depois da derrota por 2 a 1 para o time bávaro.

Carlitos teria desmentido esta versão dos fatos, ontem pela manhã, em um comunicado oficial, porém ele terá dificuldades de convencer o proprietário Khaldoun Al-Moubarak, com quem Mancini deverá ter uma conversa em breve.

“Em Munique, eu estava aquecendo e pronto para entrar. Não é o momento de entrarmos nos detalhes, mas quero afirmar que não neguei de entrar em campo”, afirmou Carlitos em seu comunicado.

Ele tinha, no entanto, falado justamente o contrario na véspera, explicando à televisão inglesa que não se sentia bem fisicamente e emocionalmente e que teria explicado o motivo ao treinador.

Tevez, 27 anos, não é a primeira vez que apronta desde a sua chegada em Manchester quando defendia o rival United em 2009.

Cansado de seus caprichos, o City teve a intenção de se livrar do mimado argentino mesmo ele ter sido o artilheiro durante dois anos na Premier League (23 gols em 2009-2010 e 20 em 2010-2011).

Porém o atleta agenciado por Kia Jorabichian não encontrou um comprador e permaneceu no City, esquentando o banco de reservas enquanto que seu compatriota Sergio Aguero brilha em campo como titular absoluto.

Tevez também queria ter deixado a Inglaterra para poder ficar mais perto de suas filhas pequenas as quais moram com a mãe na Argentina. Ele até solicitou por escrito uma transferência durante o mercado de inverno em janeiro deste ano, mas vários jornalistas interpretaram a manobra como sendo uma chantagem para obter um aumento salarial, não obstante ser um dos salários mais caros do planeta: 230 000 euros por semana, segundo a imprensa britânica.

Graeme Sousness, ex-jogador e treinador escocês que virou comentarista televisivo, resumiu assim a reprovação geral declarando terça-feira passada que Tevez era “uma vergonha para o futebol”.

“É uma fruta podre e pode contaminar o resto do cesto”, declarou o comentarista. Este, de fato, é o perigo que corre Roberto Mancini que teve que aturar a recente reclamação do bósnio Edin Dzeko o qual ostensivamente declarou o seu descontentamento em ser substituído.

É a primeira vez que um jogador deixa o campo balançando a cabeça desta forma”, disse o treinador italiano, o qual já teve que afrontar um início de rebelião dentro do vestiário na temporada passada, mesmo que ele não reconheça publicamente tal levante.

Manchester City não pode se dar ao luxo de conviver com estas lutas intestinas pois, se a situação é confortável na Premier League, onde ele reparte a primeira posição com o rival United, o time já sofreu uma considerável queda desde as três ultimas semanas. Derrotados em Munique, Tevez & Cia venceram somente um jogo dos quatro disputados.

Por Xico Malta em 29/9/2011



 

 

Ladislao e Lionel

30/09/2011 Categoria: Roberto Vieira   Comentários Nenhum comentário

el-mundo-deportivo-01.jpg

Há 60 anos estreava Ladislao.

Cigano.

Errante.

Genial.

Ladislao procurava time.

Encontrou pátria.

9 de setembro de 1951.

No tristemente famoso Sarriá.

O Barcelona de Ladislao perde do Espanhol: 1x0.

Parra anula o estreante Ladislao.

Todos vão pra casa inocentes da história. 

Pois dali em diante,

Ladislao transforma o Barcelona em supertime.

Tão grande.

Tão gigantesco.

Que o Barcelona ergue um templo para Ladislao.

O Nou Camp.

Ladislao?

Torna-se simplesmente Kubala.

Cento e noventa e quatro gols depois.

Duas dezenas de títulos conquistados.

Ladislao diz adeus.

Amistoso ao lado do argentino Alfredo e do húngaro Ferenc.

Ciganos como ele.

Tempo que passa.

Sessenta anos depois da estreia de Ladislao.

Outro cigano iguala seu feito artilheiro.

Um menino chamado Lionel.

Cento e noventa e quatro gols.

Outros cento e noventa e quatro por fazer.

Lionel que estreou oficialmente contra o mesmo Espanhol

- sagacidade dos dirigentes.

Derby em outubro de 2004.

Lionel que entra no lugar de Deco,

autor do único gol da partida.

Lionel que jogou apenas sete e esfuziantes minutos.

Ronaldinho, era o Deus.

Lionel, o mais jovem profissional na história do clube. 

Lionel que imagina Diego maior que Edson.

Lionel, poeta quando fecha a boca e joga bola.

Parodiando o parlamentar.

Lionel que tem tudo, tudo mesmo.

Para fazer o Barcelona implodir o Nou Camp.

Construindo um outro templo.

Maior.

Mais gigantesco.

Pois Lionel já é maior que Ladislao.

Isso.

Até as pedras da Avenida Aristides Mallo já sabem...

Fonte: Blog do Roberto em 29/9/2011



 

 

Polícia Federal vai investigar Ricardo Teixeira por remessa ilegal de dinheiro

Autor: Adriano Fernandes - 29/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

protesto-ricardo-teixeira-01.jpg

Procurador também pode pedir a quebra de sigilo bancário do dirigente da CBF

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, deve entrar na mira da Polícia Federal (PF). Segundo informações do jornal Lance!, o procurador da República, Marcelo Freire, remeteu um um ofício à PF no Rio de Janeiro para abrir um inquérito contra o cartola.

Teixeira seria investigado por supostas remessas ilegais de dinheiro ao Brasil. A suspeita é de que esse dinheiro seria proveniente do pagamento de um suborno por parte da a empresa de marketing ISL, que lutava para adquirir os direitos de transmissão de Tv de algumas Copa.

Quem “levantou a bola” sobre tais fatos foi o jornalista inglês Andrew Jennings, da BBC de Londres, que fez acusações sobre membros da Fifa, entre eles Ricardo Teixeira. A ISL teria pago, na década de 90, cerca de US$ 200 milhões como propina através de empresas fantasmas sediadas no paraíso fiscal de Liechtenstein.

Marcelo Freire também pode pedir a quebra de sigilo bancário de Teixeira, para investigar se estes repasses foram feitos com registro na Receita Federal ou se foram “lavagem de dinheiro”.

A Sanud Etablissement foi quem transfriu o dinheiro para RLJ Participações, que tem como sócio majoritário Ricardo Teixeira, a título de empréstimo. O fato curioso é que a Sanud, sediada paraíso fiscal de Liechtenstein, tem o irmão do cartola Guilherme Terra Teixeira como procurador no Brasil. Este também deve ser investigado.

Fonte: Futebol Interior em 27/9/2011



 

 

Romário revela traição de Teixeira e diz que Zagallo foi técnico fraco

Autor: Adriano Fernandes - 29/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

romario-ricardo-teixeira-01.jpg

Ricardo Teixeira e Zagallo foram os alvos do ex-jogador Romário em entrevista concedida ao canal Esporte Interativo. O ex-atacante revelou uma traição do presidente da CBF às vésperas da Copa do Mundo de 2002 e afirmou que o Velho Lobo foi um dos técnicos mais fracos com quem trabalhou.

"Ricardo Teixeira apertou minha mão e disse que eu iria para a Copa. Eu falei: 'presidente, o técnico é o Felipão'. Mas ele falou que quem mandava era ele", contou o Baixinho, que até chorou à época, ao saber que não estava nos planos do comandante. 

"Ele diz que ficou aborrecido porque achou que eu tivesse combinado para que a Rede Globo fosse lá no final do encontro, para dar esse furo. Então, no dia da convocação, ele falou para o Felipão: 'Fica à vontade, faz o que você quiser'", acrescentou Romário.

O ex-atacante, que diz aprovar o trabalho de Mano Menezes à frente da seleção brasileira, usou Zagallo como exemplo negativo - ele dirigiu o Brasil na Copa do Mundo de 1998, quando Romário acabou cortado por causa de uma lesão.

"Acredito que o Mano seja bom, como muitos outros na seleção foram. Alguns ruins foram também, e conseguiram ser campeões do mundo. O Zagallo, por exemplo. Como treinador, foi um dos mais fracos que já tive", criticou.

Copa 2014

Deputado federal, Romário se mostra engajado com causas relativas ao futebol, principalmente no que diz respeito ao Mundial de 2014. Ao falar sobre o assunto, ele mostra-se inconformado com o uso de dinheiro público na construção de estádios.

"O que mais me agride é esse gasto de dinheiro público com estádio. Por exemplo, tem estádios que vão chegar a mais de R$ 2 bilhões. Estádios que, com certeza, vão ter apenas dois ou três jogos e virarão elefantes brancos".

"Alguns orçamentos aumentaram em 20%. As obras nem começaram, nenhum tijolo. Ou seja, o gasto é uma brincadeira e ninguém faz nada, ninguém toma decisão. A conta que foi feita há dois anos, de que o custo da Copa do Mundo seria de 52 bilhões de reais, se a gente colocar o trem-bala, já passou dos 60", acrescentou o ex-atacante, que também reclamou dos preços que serão cobrados pelas futuras entradas.

"Quem vai ao estádio ver futebol no Brasil? São as classes C, D e E. Infelizmente, pelos preços que tenho ouvido, (o custo do ingresso) vai bater R$ 450. Vai ser a Copa no Brasil e não vai ser a Copa para o brasileiro", concluiu.

por ESPN.com.br com agência Gazeta Press em 28/9/2011

Fonte: ESPN Brasil



 

 

A Decisão do STJD mostra: o Que Pode e o que Não Pode em Campo!

28/09/2011 Categoria: Rafael Porcari   Comentários Nenhum comentário

stjd-01.jpg

Fortaleza X CRB jogaram de maneira estranha, semana passada. Os observadores mais atentos do futebol colocaram a partida sob suspeita, numa possível combinação de resultados para que o clube cearense não fosse rebaixado. Até mesmo Galvão Bueno, no.1 do Esporte da Globo, condenou publicamente na sua última edição do “Bem Amigos”, da Sportv, pedindo severas punições à ambas equipes.

Os lances condenáveis estão em: http://is.gd/dW1nKO

O absurdo erro aos 49m do 2º tempo, por parte da arbitragem, em: http://www.youtube.com/watch?v=D5GogsDQMBE&feature=player_embedded

Pois bem: ontem, o STJD julgou a partida. E sabe o que aconteceu? Quase nada!

1-Fortaleza e CRB foram considerados inocentes, pois os auditores não entenderam que houve ‘combinação’.

2-Carlinhos Bala levou multa de R$ 10.000,00 + 6 jogos de suspensão por atitudes antideportivas.

3-O árbitro Gutemberg de Paula foi absolvido.

Assim, podemos, por analogia, dizer que: Se houver combinação, puna-se o jogador que combinou; não a equipe. E se o relato do árbitro não for claro e nem necessariamente ter sido correto nas marcações, tudo bem. Quem vai punir será a CA-CBF. Ou não?

Para coroar o julgamento, olha que irônico: Anapolina/GO X Tocantinópolis foi anulado por… suspeita de combinação de resultados! Aqui: http://justicadesportiva.uol.com.br/gmsonline/index.asp?idtribunal=1

VOTOS DOS AUDITORES, EXTRAÍDO DE: http://is.gd/iel40X

- Francisco de Assis Pessanha: Absolve o Fortaleza da possibilidade de exclusão do campeonato; multa Fortaleza e CRB em R$ 20 mil pelo atraso no retorno ao gramado; absolve o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca; aplica um jogo ao jogador Paulo Rodrigues, do CRB; aplica dois jogos ao goleiro Cristiano, também do CRB; absolve o jogador Maizena, do CRB; suspende Carlinhos Bala, do Fortaleza, por seis partidas, e ainda o multa em R$ 10 mil.

- Otacílio Araújo: Diverge em relação à multa aplicada, estipulando em R$ 15 mil pelo atraso a multa ao Fortaleza e R$ 10 mil ao CRB. E mais R$ 5 mil ao Fortaleza por uma garrafa arremessada. E absolveu Carlinhos Bala.

- Marcelo Tavares: Aplica multa de R$ 10 mil e 12 partidas de suspensão ao atacante Carlinhos Bala; mantém a pena de R$ 20 mil aos clubes pelo atraso. Absolve o Fortaleza da exclusão do campeonato. E acompanha Otacílio para multar o Fortaleza em R$ 5 mil pelo arremesso da garrafa. Também absolve o árbitro. Acompanho o relator na punição aos jogadores Paulo Rodrigues, Cristiano e Maisena.

- Jonas Lopes: Acompanha a multa de R$ 20 mil para os dois clubes pelo atraso. Multa o Fortaleza em R$ 5 mil pela garrafa arremessada. Absolve também o Fortaleza quanto à exclusão do campeonato. Acompanhou os outros auditores na punição aos expulsos e na absolvição de Maizena. Condenou o jogador Carlinhos Bala à multa de R$ 10 mil e seis partidas de suspensão.

- Paulo Valed Perry: Acompanha o relator na multa aos clubes, e pune o Fortaleza em R$ 5 mil pela garrafa alterada. Suspende o árbitro por 30 dias. Quanto aos jogadores, mantém a pena do relator. Já sobre o Carlinhos Bala, aplica multa de R$ 10 mil e 12 jogos de suspensão.

Por Rafael Porcari em 28/9/2011



 

 

Jogo duplo na Copa do Mundo

Autor: Adriano Fernandes - 28/09/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

copa-2014-01.jpg

Enquanto fontes da CBF espalham que a Fifa já pensa num plano B para substituir o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 caso não seja modificada a chamada “Lei Geral da Copa”, o governo federal emite sinais contraditórios diante da óbvia chantagem.

A presidenta Dilma Rousseff diz que não cederá nas questões que eventualmente colidam com as leis brasileiras, mas, por outro lado, o líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza, trabalha para eleger o deputado Vicente Cândido como relator da “Lei da Copa”.

Ora, Vicente Cândido é um dos vice-presidentes da Federação Paulista de Futebol, entidade a serviço da CBF que, candidamente, tudo fará para atender a Fifa.

Ou seja, ou bem a presidenta quer uma coisa e o PT quer outra nesta questão ou tem gente,  que sabe que o resultado final será inevitavelmente contrário à soberania nacional, apenas  jogando para a torcida.

E é preciso que se diga que os excessos exigidos Fifa estão postos desde antes de o Brasil ser escolhido como sede e com a concordância do então presidente Lula.

Em bom português, tudo já estava combinado, e o combinado não é caro nem barato, é simplesmente o combinado.

Em meio a tal confusão, está o ministro do Esporte Orlando Silva que, a pretexto de ficar bem com a presidenta que não o queria, passou a jogar com ela, o que irritou  os cartolas da CBF e da Fifa, loucos agora para vê-lo pelas costas.

Seja como for, é difícil imaginar, nestas alturas do campeonato, que se crie uma situação tal que inviabilize a Copa no país — desenlace que este blog, dados todos os desmandos já cometidos em torno da construção e reforma de estádio e da pasmaceira em relação aos legados para as cidades sede,  até aplaudiria de pé.

EM TEMPO: O diário “Lance!” de hoje traz uma página noticiando que o procurador da República Marcelo Freire, remete hoje à Polícia Federal, no Rio, ofício determinando a abertura de inquérito contra Ricardo Teixeira, para investigar se o dinheiro que o jornalista Andrew Jennings, da BBC,  denunciou que ele teria recebido foi remetido ilegalmente para o Brasil.

por Juca Kfouri em 26/9/2011



 

 

O Deca de Romeu e Julieta

28/09/2011 Categoria: Roberto Vieira   Comentários Nenhum comentário

vicente-maria-abc.jpg

O ABC foi decacampeão estadual.

Um Deca de gols e de muito amor.

Tudo começou no dia 2 de outubro de 1932.

Uma goleada de 4x1 sobre o América-RN.

América, campeão potiguar de 1931.

Os torcedoresdo ABC ganharam as ruas de Natal.

A façanha se repetiu em abril de 1934:

Um acachapante 6x4 diante do mesmo América.

ABC campeão de 1933.

Ou melhor, bicampeão.

1934 foi mesmo um ano ímpar.

O ABC ainda teve tempo de se sagrar tricampeão.

Invicto.

E com o América declinando de jogar a última partida.

O certame já estava perdido.

Os anos se passaram.

O ABC seguiu sendo campeão.

Até encerrar a série em 1943.

Quando o Santa Cruz levou a taça.

Num dos mais confusos campeonatos da histótia potiguar.

Eram tempos de Hermes.

Xixico.

Albano.

Gols pra não acabar mais.

Tinha Simão.

Nezinho.

Mário Mota e Mário Crise.

O ABC que utilizou 50 jogadores na conquista do Deca.

Curiosamente com o mesmo treinador:

Vicente Farache Neto.

Vicente que foi advogado.

Juiz municipal.

Dono de sapataria - onde só trabalhava torcedor do ABC.

Vicente que amou a chilena Maria Lamas.

Maria que era fanática torcedora alvinegra.

Maria que sonhava ter um filho de Vicente.

Mesmo contra todos os pareceres médicos.

Maria que morreu durante o primeiro parto.

Vicente chorou noites e noites.

E para conseguir persistir vivendo.

Dedicou-se de corpo e alma ao seu clube do coração.

Ah, qual o verdadeiro nome do Frasqueirão?

Pois é, bicho!

Estádio Maria Lamas Farache.

O mais poético e doloroso nome de um estádio brasileiro.

Por Roberto Vieira em 26/9/2011



Paginação:  

Exibindo página 1 de 11 em um total de 87 registro(s).


Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação