• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


Andrés Sanchez sobe?

30/11/2011 Categoria: Flávio Araújo   Comentários Nenhum comentário

andres-sanchez-01-4ed39845d8a9a.jpg

Pelo menos no seu entendimento o presidente do Corinthians Andrés Sanchez subiu alguns degraus na escalada ascendente de sua trajetória.

Abdicou de uma possível permanência na presidência do Timão para ser diretor de seleções da CBF.

Para alguma coisa valeram as demonstrações de apoio e amizade para com Ricardo Teixeira.

Além do que o velho princípio da química continua válido: os semelhantes sempre se atraem.

Mesmo que essa atração o obrigasse a dar as costas aos chamados co-irmãos paulistas.

O convite para o cargo não foi, pois, uma epifania e sim o cimentar de um terreno preparado.

Se houve no caso o anúncio da nomeação numa clara ausência de bom senso para o momento que se vive no BR/11 o débito é todo de Ricardo Teixeira.

Compreenda-se que a sensibilidade do presidente da CBF pode ser comparada aos passos de um elefante numa exposição de cristais.

Wadi Helou considerava que o cargo de presidente do Corinthians era o terceiro em importância no país, só estando à sua frente a presidência da República e o governo do Estado.

Assim não pensa Andrés e entre a glória da presidência do Corinthians e um posto de empregado – bem remunerado - de Ricardo Teixeira ganhou a segunda hipótese.

A propósito da ocasião inoportuna para o anúncio só poderemos acrescer que um diretor de seleções da CBF tem que estar acima de interesses clubísticos.

Para quem iniciou a trajetória nos Gaviões da Fiel Andrés Sanchez promete que não vai parar por aí.  

Que se contente, falando de Corinthians, ao fato de sair como o presidente que deu um estádio ao clube, o que não é pouca coisa.

Abaixo de Lula, evidente.

 

Por Flávio Araújo


 

 

Herói da Copa de 62, Amarildo enfrenta câncer na garganta com otimismo

Autor: Adriano Fernandes - 30/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

amarildo-copa-1962-01.jpg

Aos 72 anos, o ex-atacante Amarildo soube há dois meses que estava com câncer na garganta. Hoje, depois de enfrentar duas sessões de quimioterapia, o herói brasileiro da Copa de 1962 olha para seu desafio de saúde com otimismo. Conhecido por entrar no time brasileiro no Mundial do Chile como substituto de Pelé, lesionado, o jogador até fala com entusiasmo sobre o futuro, animado com a função de embaixador das categorias de base do Botafogo.

"Está tudo sob controle. Estou me sentindo bem, graças a Deus. São coisas que a gente tem que passar. Estou vendo isso com tranquilidade", disse Amarildo à reportagem.

Atacante Amarildo chora na comemoração do título da seleção na Copa do Mundo de 1962 no Chile

Amarildo está passando por tratamento no Rio de Janeiro, perto de seus familiares. "Ele está animado. A princípio a pessoa leva um choque, mas ele está tendo todo o apoio nosso, da esposa também", afirma a irmã do ex-atacante, dona Maria do Carmo Silveira de Souza.

Durante o tratamento do câncer na garganta, Amarildo tem mantido contato com parte da turma de 1962, além de alguns companheiros do Botafogo. "Tenho falado com o Zagallo, estou sempre falando com o Britto, com o Jairzinho. De vez em quando falo com o pessoal de São Paulo também, com o Zito, Mengálvio, Coutinho, toda a velha guarda", relata.

Paralelamente ao tratamento de saúde, o ex-atacante tem se mantido ligado ao futebol. Amarildo diz que Leandro Damião tem muito a evoluir como centroavante da seleção brasileira e entende que Neymar fez a opção correta ao escolher passar os próximos anos no futebol nacional.

Nascido em Campos dos Goytacazes em 29 de julho de 1939, Amarildo vestiu as camisas de Flamengo e Vasco. No entanto, foi com o branco e preto do Botafogo que viveu seus melhores momentos no futebol brasileiro, no timaço de Garrincha, Didi, Nilton Santos e companhia. Na Itália, onde viveu por algumas décadas, o ex-atacante conhecido nos gramados como "O Possesso" defendeu Milan, Fiorentina e Roma.

Mas o instante mais célebre da carreira de Amarildo aconteceu mesmo no Chile, durante a Copa de 1962. O então jogador do Botafogo foi o escolhido pelo técnico Aymoré Moreira para substituir Pelé, machucado ainda na primeira fase. No entanto, o ex-atacante transformou o que poderia ser uma "roubada" , jogando na vaga do Rei, em uma missão cumprida com louvor.

O botafoguense foi fundamental na dramática vitória de virada por 2 a 1 sobre a Espanha no último jogo da primeira fase, tido como o mais complicado do Brasil naquele Mundial, com dois gols marcados. Amarildo voltaria a balançar as redes mais uma vez, no primeiro gol do triunfo por 3 a 1 sobre a Tchecoslováquia na final em Santiago.

Por Bruno Freitas em 12/11/2011

Fonte: UOL Esportes



 

 

Gary Winston Lineker

Autor: Adriano Fernandes - 30/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

gary-lineker-01.jpg

Gary Lineker é, até hoje, o único inglês artilheiro de uma Copa do Mundo, com seus seis gols em cinco jogos em 1986. Também é o maior goleador da seleção inglesa em Copas, com dez no total (fez mais quatro em 1990).

Além disso, Lineker foi um dos jogadores mais disciplinados do futebol mundial: nunca recebeu um cartão amarelo ou vermelho. Revelado pelo Leicester City em 1978, estreou na seleção inglesa em 1984, mas explodiu como artilheiro no Everton, com 40 gols na temporada 1985/1986.

Pouco antes de ir para a sua primeira Copa, foi contratado pelo Barcelona. No México, Lineker desencantou no terceiro jogo, fazendo todos os gols da vitória de 3 a 0 sobre a Polônia. Nas oitavas-de-final, ainda fez mais dois sobre o Paraguai.

Contra a Argentina, marcou o seu, mas não evitou a derrota por 2 a 1 (com dois gols históricos de Maradona) e a eliminação nas quartas-de-final. Lineker retornou à Inglaterra em 1989 para jogar pelo Tottenham, e foi para a Copa de 1990 como titular absoluto.

Na primeira fase, fez apenas um gol na estreia contra a Irlanda. Mas decidiria a classificação inglesa nas quartas-de-final com dois de pênalti na virada sobre Camarões.

Na semifinal contra a Alemanha, Lineker marcou o gol inglês no empate por 1 a 1 no tempo normal. Na decisão de teceiro lugar contra a Itália, o artilheiro passou em branco.

Apesar do relativo sucesso com a seleção, Lineker não conseguiu conquistar nenhum campeonato de clubes, apenas copas - três no total. Foram duas pelo Barcelona (a Copa do Rei e a Recopa, torneio europeu extinto em 1999). Em 1991, pelo Tottenham, foi campeão da tradicionalíssima Copa da Inglaterra, embora não tenha feito gol na final em que seu clube venceu o Nottingham Forest por 2 a 1.

A despedida de Lineker da seleção inglesa aconteceu na Eurocopa de 1992, na Suécia. Ele encerrou sua carreira de jogador no Japão, em 1996, e passou a ganhar a vida com palestras e como comentarista e apresentador de TV.

Em março de 2006, Lineker foi a Buenos Aires para uma entrevista especial com Maradona para a emissora inglesa BBC. Os dois não se encontravam desde o histórico jogo da Copa de 1986.

 Fonte da Imagem: Dnoticias.pt

Fonte: UOL Esportes



 

 

Ronaldo aceita convite de Teixeira e vai presidir Comitê da Copa de 2014

Autor: Adriano Fernandes - 29/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

ronaldo-e-ricardo-teixeira-01.jpg

Ronaldo aceitou o convite de Ricardo Teixeira para dirigir o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. Presidente do COL e da CBF, Teixeira sugeriu a mudança ao ex-atacante na última semana. O Fenômeno desconversou ao falar sobre o tema nos últimos dias, mas respondeu “sim” ao desafio de comandar as operações do próximo Mundial, no Brasil.

A informação não é oficial. A CBF, o COL e o próprio Ronaldo não se pronunciaram a respeito, mas uma fonte ligada ao ex-jogador confirmou o "sim" ao UOL Esporte. O Fenômeno está no Rio de Janeiro para a feira Soccerex e deve confirmar o novo cargo à tarde, durante sua participação no evento. 

Ricardo Teixeira tem sido pressionado pela Fifa para se afastar, ao menos oficialmente, do comando do COL. Desde que se tornou um aliado do qatari Mohamed bin Hamman, inimigo político do presidente da Fifa, Joseph Blatter, o brasileiro entrou em rota de colisão com a cúpula da Fifa.

Há meses experimentando a vida de homem de negócios no comando da 9ine, sua agência de marketing e consultoria esportiva, Ronaldo terá uma missão difícil pela frente. Além de toda a pressão política sobre o cargo, ele terá a responsabilidade de coordenar os trabalhos nos 12 estádios que receberão jogos da Copa. As obras já enfrentaram seguidos problemas com greves dos trabalhadores.

Além disso, Ronaldo também deve participar ativamente da discussão sobre os temas polêmicos da Copa, como a meia-entrada e o consumo de bebidas alcoolicas nos estádios, tema que deve ser decidido pelo Congresso. Teixeira, antigo responsável pela função, estava muito visado pela imprensa por conta das denúncias de corrupção que sofreu e tinha dificuldade para conseguir audiências com a presidente Dilma Rousseff.  

A colocação de um ex-jogador e ídolo nacional à frente da organização de uma Copa não é novidade. Michel Platini desempenhou a função na Copa de 1998, na França, e Franz Beckenbauer seguiu o mesmo caminho em 2006, na edição do Mundial da Alemanha.

No último  fim de semana, Ronaldo chegou a negar o convite de Teixeira e desconversou. "Não fui procurado e fiquei surpreso com essa especulação toda. Não sei de onde veio, de onde tiraram isso, mas seria uma honra. Até agora não tem nada, mas eu adoraria contribuir de alguma forma", comentou o ex-jogador à TV Globo.

Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, foi questionado sobre o tema durante um evento na capital paulista nesta terça-feira. Sem confirmar Ronaldo no COL, elogiou o ex-jogador. 

"O Ronaldo representa muito para o futebol brasileiro. Não posso detalhar muito porque não sei ainda qual cargo ele vai ocupar, não tive essa confirmação, mas seja qual cargo for, ele será muito benvindo", disse o político. 

Thales Calipo em 29/11/2011

Fonte: UOL Esportes



 

 

AtleTiba, Choque Rei, Derby, GreNal, FlaFlu, SanSão e os apelidos de outros Clássicos dos Milhões

Autor: Adriano Fernandes - 29/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

sport-x-nautico.jpg

AtleTiba, Choque-Rei, Derby, GreNal, Fla-Flu, San-São e os apelidos de outros Clássicos dos Milhões

Segundo o site do XV de Piracicaba, foi o jornalista Tomaz Mazzoni quem batizou de “Nhô Quim” o mascote do clube. Mazzoni também criou apelidos de outros times e de clássicos paulistas. Aproveito a rodada do Brasileirão com clássicos estaduais para publicar de novo a lista com nomes e apelidos de alguns dos grandes clássicos estaduais – e até municipais. Muitos desses grandes encontros já inspiraram edições especiais de revistas e livros. Não quis eleger aqui os maiores clássicos nacionais, coisa que já foi feita pela revista Trivela. A lista se refere aos clássicos que têm nomes ou apelidos como Fla-Flu, Gre-Nal, Clássico dos Clássicos, dos Milhões, das Multidões etc, mas não é definitiva. Aceito sugestões. Atualizado com as dicas dos amigos do Maranhão e do Domingos D ´Angelo, do MemoFut.

AtleTiba: Atlético Paranaense x Coritiba. Há um livro, “AtleTiba, a Paixão das Multidões”, de Vinícius Carneiro e Coelho Neto, editado pela prefeitura de Curitiba, em 1994.

Ba-Vi: Bahia x Vitória.

Bra-Pel: clássico de Pelotas (RS): Brasil e Pelotas. Livro: “A História dos Bra-Péis”, de Sérgio Augusto Gastal e Mário Gayer do Amaral (editado pela Signus em 2008).

Ca-Ju: Caxias x Juventude. Vejo no Futebooks que há um livro, “Clássico CA-JU: Paixão e Rivalidade“. De Gustavo Côrtez. Capa belíssima, abaixo.

Choque-Rei: o clássico entre Palmeiras x São Paulo, apelidado assim pelo jornalista Tomaz Mazzoni, do jornal “A Gazeta Esportiva”.

Clássico da Saudade: encontrei essa referência na internet para designar Palmeiras x Santos. Mas não creio que seja um nome popular hoje em dia.

Clássico da Paz: América-RJ x Vasco.

Clássico da Paz – Ceará x Ferroviário.

Clássico das Cores: Ferroviário x Fortaleza. Dois tricolores.

Clássico das Emoções: Náutico x Santa Cruz.

Clássico das Multidões: Santa Cruz x Sport, times da massa em Pernambuco.

Clássico das Praias: Santos x Portuguesa Santista. Dica do Marcos.

Clássico de Ouro: outro velho clássico de Salvador, Galícia x Ipiranga, segundo o site Clássico É Clássico.

Clássico do Café, no norte do Paraná: Londrina x Grêmio Maringá, dica do Marcos.

Clássico dos Clássicos: Náutico x Sport, considerado o mais antigo do Nordeste. E o 3º do Brasil, atrás apenas do Clássico Vovô e do Gre-Nal. Como lembra o Maurício Targino, do BlogSport, as emoções de Timbu x Leão são contadas no livro “Clássico dos Clássicos – 100 Anos de História”, do Carlos Celso Cordeiro, Lucídio José de Oliveira e Roberto Vieira. Uma capa para torcedores do Sport, outra para os do Náutico. As capinhas abaixo saíram no Blog do Cassio Zirpoli, do Diário de Pernambuco.

Clássico dos Maiorais: Campinense Clube x Treze fazem o derby de Campina Grande. O Clássico dos Maiorais foi assim batizado pelo locutor Joselito Lucena. Tema de reportagem no nº 2 da revista Fut, editado pelo Lance!

Clássico dos Milhões: Flamengo x Vasco. Livro: “Flamengo x Vasco”, de Roberto Asssaf e Clovis Martins (Relume Dumará, 1999).

Clássico Imperial: Imperatriz x JV Lideral. De Imperatriz (MA).

Clássico Rei: Ceará x Fortaleza. Livro: “Grandes Clássicos Reis da História – Ceará x Fortaleza”, de Airton de Farias e Vagner de Farias (Edições Livro Técnico, 2006).

Clássico Vovô: Botafogo x Fluminense, o mais antigo do Brasil. Segundo o site Livros de Futebol, há o livro “Clássico Vovô”, de Alexandre Mesquita e Jefferson Almeida.

Come-Ferro: clássico do interior paulista, entre Comercial de Ribeirão Preto e Ferroviária de Araraquara.

Come-Fogo: o clássico de Ribeirão Preto entre Comercial e Botafogo. Segundo o livroBotafogo – Uma História de Amor e Glórias, de Igor Ramos, que traz uma lista dos Come-Fogos até 2008, o apelido foi dado pelo jornalista Lúcio Mendes em 1954.

Derby: Corinthians x Palmeiras. Há o livro de Antonio Carlos Napoleão, “Corinthians x Palmeiras – Uma História de Rivalidade”. Sem falar no livro recém lançado pelo Aldo Rebelo, que trata especialmente de um amistoso de 1945.

Derby campineiro: Guarani x Ponte Preta.

DeRB: Desportiva x Rio Branco, clássico capixaba, dica do Cesar.

Fla-Flu: Flamengo x Fluminense, claro. Há referências como Clássico das Multidões também. Seu Domingos D´Angelo do MemoFut indica 2 livros: “Fla-Flu: O Jogo do Século”, de Roberto Assaf e Clovis Martins, editado pela Letras & Expressões, em 1999. E “Fla-Flu… E as Multidões Despertaram”, de Nelson Rodrigues e Mario Filho (Edição Europa, 1987).

GreNal: Grêmio x Internacional. Há o livro “A História dos GreNais”, texto de David Coimbra e mais 3 autores, na edição atualizada dos 100 anos do grande clássico gaúcho, publicada pela LP&M Editores.

Juve-Nal: Juventus e Nacional de São Paulo.

Majestoso: Corinthians x São Paulo. Outra criação do jornalista Tomaz Mazzoni.

Mare-Moto: Maranhão x Moto Clube.

Re-Pa: Remo x Paysandu, também conhecido como Clássico-Rei da Amazônia. Tema do livro “Remo x Paysandu – O Clássico mais disputado do futebol mundial”, de Ferreira da Costa.

RiVengo: River (PI) x Flamengo (PI). Em livro: “Rivengo – O Clássico do Século”, de Severino Filho Buim, editado pelo autor, em 2001.

SaMará: Sampaio Corrêa x Maranhão.

San-São: Santos x São Paulo.

Vi-Rio. Vitória x Rio Branco, clássico capixaba.

Fonte: FUT POP CLUBE em 26/5/2010



 

 

Estou tonto!

Autor: Adriano Fernandes - 29/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

ricardo-teixeira-01.jpg

Achei que a permanência de Ricardo Teixeira à frente da CBF fosse questão de um mês, dois meses no máximo, principalmente depois que a presidenta da República, Dilma Rousseff, abriu mão publicamente de seus “serviços” (sic) durante todas as manifestações de apoio à Copa do Mundo de 2014, no Rio de Janeiro.

Aí, acordo e vejo Ricardo Teixeira reunido com figuras importantes depois de nomear o ainda presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, como diretor das seleções de futebol da CBF e dizem que Ronaldo Fenômeno – que nega ter aceitado o convite – para presidir o Comitê Local da Copa de 2014, o mesmo papel de Michel Platini, na Copa de 98, na França e de Franz Beckenbauer na de 2006, na Alemanha.

A “festa” foi organizada e realizada na casa do empresário José Vitor Oliva, para homenagear o meu amigo Galvão Bueno, que sinceramente não sei dizer se estava avisado da presença dessas pessoas.

Ali também estava o hoje em dia empresário J.Hawilla, com quem tive o prazer de trabalhar na Rede Globo no tempo em que ele ainda era jornalista e pobre.

A festa pode ter sido para homenagear Galvão, mas ficou com a cara de ser uma tentativa de “recuperação” de prestígio e força do até então “abandonado” Ricardo Teixeira.

Depois querem me garantir que essas coisas não acontecem no futebol brasileiro.   

 

Por Michel Laurence em 27/11/2011

Fonte: Jogo Quase Perfeito



 

 

Relator da Lei da Copa quer incluir pensão para campeões mundiais

Autor: Adriano Fernandes - 28/11/2011 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários Nenhum comentário

copa-2014-04.jpg

O relator da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto da Lei Geral da Copa do Mundo de 2014, Vicente Cândido (PT-SP), disse hoje (24) que pretende incorporar ao texto a concessão de pensão vitalícia aos jogadores campeões em 1958, 1962 e 1970. A proposta já faz parte de um projeto de lei de autoria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ainda em tramitação na Casa.

Para Vicente Cândido, “esta seria a melhor homenagem que se poderia fazer aos heróis dessas três copas”. Para que a ideia tenha mais impacto, o relator e o presidente da Comissão, deputado Renan Filho (PMDB-AL), vão tentar agendar uma audiência pública com o ex-jogador, e ex-ministro do Esporte Pelé – atualmente embaixador honorário da Copa de 2014 – antes da apresentação do parecer para votação, que está marcada para 6 de dezembro.

“Estamos tentando trazer o Pelé como símbolo disso tudo, embora ele não queira e não precise do benefício”, destacou Renan. Vicente Cândido disse que já tem concordância do governo, do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e das lideranças partidárias para incluir a pensão aos tricampeões mundiais no texto final.

A princípio, a única data disponível para Pelé na Comissão Especial seria o próximo dia 29, quando haverá audiência pública com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e representantes de Brasília envolvidos com a realização da Copa na cidade.

Fonte Portal 2014 em 24/11/2011



 

 

O STJD entrou em campo

28/11/2011 Categoria: Flávio Araújo   Comentários Nenhum comentário

stjd-01-4ed39719ac6da.jpg

Em sua reunião desta segunda-feira o Superior Tribunal da Justiça Desportiva deverá julgar o zagueiro Bolívar, do Internacional de Porto Alegre, autor de uma jogada criminosa diante do jovem Dodô, atualmente no Bahia.

O lance não teve no momento em que aconteceu a atenção de árbitro e auxiliares, porém, o STJD tem oportunidade de aplicar a devida justiça.

É aí que mora o perigo.

Esse mesmo Tribunal entrou em campo nos últimos dias para distribuir benesses a alguns indiciados premiando injusta e diretamente atletas específicos e seus clubes.

Julgamentos foram adiados e efeitos suspensivos concedidos e o órgão que deveria aplicar a lei demonstra que nada mudou em seus princípios.

Quem já mudou resultado de campeonatos por ações contestáveis mais do que nunca deve estar sendo muito bem observado por todos nós.

Mesmo que não tenhamos força para corrigir seus rumos continuaremos denunciando suas fraquezas e atitudes inomináveis.

Inomináveis não, pois, se acontecerem, saberemos como nominá-las. 

 

Por Flávio Araújo



Paginação:  

Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação