• Twitter
  • Facebook

Blog Memória Futebol


São Paulo x Santos – O clássico SanSão!

Autor: Adriano Fernandes - 25/04/2013 Categoria: Adriano Fernandes   Comentários 1 comentários

Thomaz Mazzoni - Foto: Almanaque de Cultura Popular

SanSão: A origem do nome

Thomaz Mazzoni foi um importante jornalista do extinto jornal A Gazeta Esportiva. Além das matérias clássicas do diário, ele ficou conhecido também por apelidar os principais clássico de São Paulo.

A partir de 1930, quando assumiu o comando da redação da Gazeta Esportiva, começou uma renovação da linguagem do futebol, criando termos que sobrevivem até hoje, como os apelidos que deu aos principais clubes paulistas (Clube da Fé, ao São Paulo, Timão e Mosqueteiro, ao Corinthians, Campeoníssimo, ao Palmeiras, Moleque Travesso, ao Juventus, e Nhô Quim, ao XV de Piracicaba, entre outros).

Foi ele que criou o nome dos grandes clássicos paulistas: “Choque Rei” para o São Paulo x Palmeiras, o Corinthians x São Paulo de “Majestoso”.

Para o duelo entre Santos e São Paulo ele foi mais simplista: “SanSão”. Mas mesmo assim funcionou e esse é hoje o único clássico paulista em que o uso das iniciais dos times pegou como apelido.

Gangorra

Santos e São Paulo não costumam viver bons momentos ao mesmo tempo. Na década de 40, o tricolor vivia bem com Leônidas da Silva. Depois surgiu Pelé para o Peixe, mas só na década de 60, exatamente quando a fila do rival se estendia por 13 longos anos. Por volta de 80, a dominação são paulina começou a tomar contornos novamente, mas o alvinegro da Baixada voltava a sofrer. Na atual década, os primeiros anos foram de domínio do Santos. Depois o São Paulo ganhou tudo.

Ídolos divididos

Ao contrário de outras rivalidades, existem jogadores que conseguiram sucesso tanto no Santos quanto no São Paulo. Basta lembrar de Araken Patusca, Mauro Ramos de Oliveira, Toninho Guerreiro, Pita e Serginho Chulapa. Este último é o que tem a história mais misturada entre os dois times. Decidiu títulos para ambos, é o maior artilheiro da história do São Paulo, mas hoje trabalha no Santos.

Polêmica

Ninguém esquece: no Campeonato Brasileiro de 2002, o São Paulo recebeu o Santos no Morumbi. O time visitante, que já contava com Robinho, aplicou uma virada de 2 a 1 no tricolor. Mas a comemoração do segundo gol foi o destaque do jogo: Diego subiu em cima do escudo do São Paulo para provocar a torcida rival. O então jovem meia sofreu com a polêmica e o jogo ainda terminou 3 a 2 para os mandantes.

Provocação em vão

No Campeonato Paulista de 2005, o São Paulo era o líder disparado da competição, que era disputada por pontos corridos. E o último jogo do time era na Vila Belmiro, contra o Santos, onde já era programada a festa do título. Mas a diretoria alvinegra fez questão de não liberar seu estádio e mudou a sede do jogo para Mogi Mirim. Só que esta provocação não serviu para nada, já que o São Paulo chegou no último jogo sem o título garantido e o Peixe perdeu a chance de usar sua casa para impedir o título tricolor.

Vexame alvinegro

Os são-paulinos não devem esquecer do jogo que ficou conhecido como o “Dia em que o Santos de Pelé correu do São Paulo”. Na partida, o São Paulo aplicou 4 a 1 em seu rival e provocou uma série de expulsões e contusões que levaram o Peixe a desistir de jogar aos 10 minutos do 2º tempo, pois só tinha 6 atletas com condições. Até o próprio Pelé foi expulso neste dia por reclamação.

O Primeiro jogo foi realizado em 25 de abril de 1936, com vitória do Santos, 2 x 0.

Por Julio Anderson em 5/2/2010

Fonte da Imagem: Almanaque de Cultura Popular 

Fontes:  Blog da Redação Uol, Almanaque de Cultura Popular, Futpedia, Movimento São Paulo


Comentários

Nome: Adiel Brasil Furtado

Qual é o clube que deixou o São Paulo F.C. na fila de espera nas semi-finais dos paulistas de 2010 a 2013???
Resposta: o melhor clube do estado de São Paulo O GLORIOSO SANTOS F.C.


Deixe seu comentário

Nome:

Seu E-mail:

Assunto da Mensagem:

Mensagem:



Memória Futebol - todos os direitos reservados 2011

Ap1! Comunicação